24.

Ah, seu amor ingênuo!
Enrosca-se em meu cabelo,
Deixa-me distônico.
Diz que é meu, sem sê-lo.

Ah, meu amor platônico!
Quer mais do que oferece,
É um neurastênico.
Sobrevive sem interesse.

Entre si tão distantes,
Ainda que a nós nos encante!

Ari Donato | Salvador / 2021

Na ilustração, “Carinho”, acrílica sobre tela, de Rose Fernandes.