19.

Perdoe-me não haver chegado antes;
E por todo o tempo distante,
Confuso – em procura alienante.

As flores agora exalam nostalgia!
Sem borboletas que – na regalia –
Esvoaçavam-se em estripulias.

Perdoe-me não haver chegado logo,
Para ouvir sua voz – seus rogos –
Afastar-nos desse desafogo.

Olho vasos de desânimo – que rego.
E já esverdeia o recomeço,
No corte de ramos do dessossego.

Ari Donato | Salvador / 2021

Foto Ari Donato – Trecho urbano da Estrada de Ferro Campos do Jordão – 2014.

18.

As estrelas tremulam.
São como olhos insones.
Se movemos o rosto,
Parece-nos que somem!
Da imensidão polvilham
Sinais, a perguntar:
– Mentes por convicção ou por não mais
Distinguires verdadeiro de falso;
Separares do limpo todo o turvo?

Ari Donato | Salvador / 2021

A noite estrelada, do artista holandês Vincent Van Gogh, óleo sobre tela, 73 x 92 cm, 1889.