8.

Acordo em meio de um sono pesado,
Sem um magro tostão, nada ao meu lado.
Ensombro uma tela quando se movem
Cenas de um sonho – com ator em monólogo.

Faltou energia e o projetor falha.
Demorado “Oh!” pelo salão se espalha.
Estou naquele retângulo escuro.
Drama! Sem saber: sonhava ou vivia.

Seguindo as águas inquietas de um rio,
Meu barco despenca pela cachoeira.
Cai na quadra desta vida vazia,

Em que ora nado – longa letargia –
A regurgitar poemas que muitos –
Quase todos – jamais vão ler um dia.

[Ari Donato | Salvador / 2021]

Foto Ari Donato | Rascunhos | Fevereiro 2021.

Reflexão sexagenária

Que bom que a desilusão quanto à vida
Chega-nos após meado do caminho,
Quando mais da metade foi andada.
Se chegasse antes, nada construiríamos,

Antes do fim da nossa caminhada.
Mudamos a qualquer tempo a opinião,
Pois tempo já não nos importa mais,
Senão o oposto do que foi dito antes.

Pois assim corrigimos nossos erros,
Sem nos trairmos, mas sermos fieis
A nós mesmos – nosso conhecimento –

Quanto à histórica estupidez humana,
Que de todos recebe o acolhimento,
De ser o primeiro da Criação.

[Ari Donato | Salvador / 2017]

Oração

Luz que emana da alma
Para elevar-se aos céus, na busca de Deus.
É a oração.

Palavras em forma de prece,
Sob a influência divina, que as ilumina.
É a oração.

Bendita súplica mediadora,
Alimento da paz celeste, que Deus concede.
É a oração.

[Ari Donato | Salvador / 2011]